21 de fevereiro de 2018 - 17:41
Home / Mundo / Acidente com avião da Saratov Airlines deixa 71 mortos

Acidente com avião da Saratov Airlines deixa 71 mortos

Um avião com 71 pessoas a bordo, da companhia Saratov Airlines, caiu na região de Moscou neste domingo (11/02/2018). Não há sobreviventes, de acordo com a Promotoria dos Transportes da Rússia. Trata-se do desastre com voo comercial com maior número de mortos desde a queda do avião da Chapecoense, em novembro de 2016.

A aeronave, que realizava o voo regular 6W 703, decolou as 14h21 (9h21 em Brasília) do aeroporto Domodedovo, na capital russa, com destino a Orsk, a cerca de 1.700 km de Moscou e perto da fronteira com o Cazaquistão. Quatro minutos depois, perdeu contato.

“A comunicação por rádio com a tripulação foi perdida alguns minutos após a decolagem, a aeronave desapareceu do radar”, disse um porta-voz da Federação Russa de Transporte Aéreo.

O avião, de modelo Antonov AN-148, levava 65 passageiros e seis tripulantes. O Ministério de Emergências da Rússia divulgou uma lista com os nomes das vítimas (http://www.mchs.gov.ru/operationalpage/Operativnaja_informacija/item/33515861/). Segundo dados preliminares, todos os mortos eram cidadãos russos.

O ministro de Transportes da Rússia, Maxim Sokolov, que lidera a comissão governamental encarregada de investigar o acidente, indicou que para identificar as vítimas serão necessários exames de DNA.

RA-61704 – Antonov An-148-100B – Saratov Airlines (Foto: JetPhotos/Reprodução)

O Comitê de Instrução da Rússia indicou que não descarta nenhuma linha de investigação. “Serão investigadas todas as possíveis causas do acidente: as condições do tempo, o fator humano, o estado do avião e outros desenvolvimentos dos eventos”, afirmou a porta-voz do comitê, Svetlana Petrenko.

A Saratov Airlines emitiu um comunicado no qual ressaltou que o capitão da aeronave, Valeri Gubanov, era um piloto experiente, com 5 mil horas de voo, das quais 2,8 mil foram acumuladas em aviões AN-148.

Segundo a companhia, o avião, de matrícula RA-61704, fabricado em 2010, tinha sido adquirido há dois anos. “A operação de busca (na região do acidente) continua. E estes trabalhos permanecerão sem interrupção”, declarou o ministro para Situações de Emergência da Rússia, Vladimir Puchkov.

Segundo a pasta, as equipes de resgate conseguiram recuperar uma das caixas-pretas do avião.

O AN-148 é uma aeronave projetada pela empresa ucraniana Antonov para cobrir rotas de média distância, com uma autonomia de voo de 2,2 mil e 4,4 mil quilômetros, dependendo da sua configuração.

EUA: ‘profundamente entristecido’

O governo dos Estados Unidos disse se sentir “profundamente entristecido” pelo acidente aéreo e enviou suas condolências ao povo russo por essas “trágicas mortes”, informou a Casa Branca em comunicado.

“Os EUA estão profundamente entristecidos pelas trágicas mortes daqueles a bordo do voo 703 da companhia aérea Saratov. Enviamos as nossas condolências às famílias daqueles que perderam suas vidas e ao povo da Rússia”, disse a Casa Branca em um breve comunicado.

Aeronave

O Antonov An-148 é uma aeronave de origem ucraniana com capacidade para até 85 passageiros. O modelo é usado na aviação regional, em distâncias médias. Sua autonomia é de até 4,4 mil km.

O modelo é menor do que as aeronaves mais usadas na aviação brasileira. Boeing 737 e Airbus A320, por exemplo, populares na ponte aérea Rio-São Paulo, têm capacidade para cerca de 150 passageiros. Um equivalente ao An-148 é o jato regional brasileiro Embraer E175, que leva até 78 pessoas.

A Saratov Airlines tem sede em Saratov, a 840 km ao sudeste de Moscou. Em 2015, a companhia foi proibida de operar voos internacionais quando, durante uma inspeção surpresa, agentes de segurança encontraram uma pessoa que não era membro da tripulação na cabine de comando.

Histórico

Segundo o registro da Bureau of Aircraft Accidents, empresa sediada na Suíça que contabiliza acidentes aéreos, o desastre de Moscou deste domingo, considerando apenas voos comerciais, é o que teve maior número de mortos desde a queda da aeronave em que viajava a equipe da Chapecoense em novembro de 2016, na Colômbia, em que também morreram 71 pessoas.

O voo da Chape era um charter (quando a aeronave é alugada para um voo específico), enquanto o da Saratov era um voo regular, de linha.

Houve, porém, um desastre com mais mortos na Rússia, em 25 de dezembro de 2016, quando um voo militar Tu-154 operado pelo Ministério da Defesa, que voava para a Síria, caiu no Mar Negro após decolar de Sochi, no sul da Rússia. Todas as 92 pessoas a bordo morreram.

Em março de 2016, um Boeing 737-800 operado pela FlyDubai caiu ao pousar em Rostov-on-Don, matando todas as 62 pessoas a bordo.

Em outubro de 2015 uma bomba a bordo destriuiu um avião da companhia russa Metrojet após a decolagem de Sharm al-Sheikh, no Egito. Todos os 244 passageiros e tripulantes a bordo morreram.

VER PRIMEIRO

Receba as notícias do Aconteceu no Vale em primeira mão. Clique em curtir no endereço www.facebook.com/aconteceunovale ou no box abaixo:


(Com informações da Agência EFE e G1 Mundo)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>